SEJA VIP!!!

Cadastre-se Para Receber Nossas Atualizações e Descubra Como Organizar Suas Finanças e Alcançar Prosperidade Sem Ser Um Especialista (É grátis!)

Finanças Pessoais

Como cortar gastos no caso de desemprego?

Além de eliminar a principal fonte de renda da família, o desemprego abala todo o lado seu emocional. Cortar gastos deve ser a primeira providência.

Como cortar gastos no caso de desemprego?

Coloque no papel o valor que você irá receber por conta da demissão, junte com sua reserva de emergência acumulada, e todos outros recursos guardados e, de outro lado, liste todas as despesas da casa.

Se você já passa por dificuldade no seu orçamento, o recomendável é estabelecer uma estratégia de quitação de dívidas mais caras, com taxas de juro elevadas, para evitar o famoso efeito bola de neve que nos leva ao fundo do poço. Você deve cortar gastos, mas antes livre-se das dívidas.

A maioria dos planejadores financeiros que eu conheço recomendam que seja considerado um prazo médio de seis meses até que se encontre um novo emprego. Nesse caso, todo recurso disponível precisa durar ao máximo, por isso, é necessário economizar todo o dinheiro possível!

Quando recebemos verba rescisória, após vários anos trabalhando em uma mesma empresa (regime CLT), pode lhe dar a impressão de que se tem muito dinheiro.  Porém é preciso lembrar que as contas do mês continuarão existindo.

Em uma situação com essa, uma reunião familiar ou o planejamento pode ajudar, pois as emoções precisam ser equilibradas para que se comece a ser traçado um plano de contenção de despesas e readequação das receitas.

Como cortar gastos no caso de desemprego?

Veja como fazer:

Eu já publiquei aqui alguns artigos de como fazer um bom planejamento financeiro, mas nunca é demais relembrar como tudo deve ser feito:

  • ajuste o orçamento para a nova realidade: atualize receitas e despesas, identifique gastos que possam ser cortados ou, ao menos, reduzidos.
  • defina prioridades: destaque, em seu orçamento, as despesas mais importantes
  • reveja hábitos: a família deve ter consciência de que deverá abrir mão de alguns hábitos e que a situação será temporária. Quanto maior o esforço e envolvimento de todos neste objetivo, melhor o resultado.
    1. busque alternativas de renda: existe alguma atividade que você faça bem e que possa lhe garantir um dinheiro extra? Aulas de violão, idioma ou reforço escolar, tradução e revisão de textos, passeio com cães da vizinhança, produção de bijuterias. Coloque sua criatividade para funcionar e garanta um reforço no seu orçamento.
    2. estabeleça um plano de pagamento de dívidas em atraso: renegocie e evite o acúmulo de parcelas e efeito dos juros;
    3. fuja das compras por impulso;
    4. pague sempre o valor total da fatura do cartão, na data correta;
    5. evite utilizar o limite do seu cheque especial.

Pague suas dívidas

As verbas rescisórias recebidas do emprego anterior e o seguro-desemprego podem ser as únicas fontes de renda por um determinado período.

No entanto, evite que o medo e a ansiedade por estar desempregado o façam tomar decisões equivocadas, como deixar de pagar determinadas contas. Juros e encargos incidentes sobre pagamentos em atraso acabam com seu planejamento e, além disso, você poderá ser incluído em um cadastro de inadimplentes, que não lhe faria bem em uma situação como essa. Portanto, apesar de  ter que cortar gastos, nunca deixe de pagar suas dívidas.

Gostou do artigo?

Entre para nossa lista e receba com prioridade nossas dicas e conteúdos!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

CommentLuv badge

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.