SEJA VIP!!!

Cadastre-se Para Receber Nossas Atualizações e Descubra Como Organizar Suas Finanças e Alcançar Prosperidade Sem Ser Um Especialista (É grátis!)

Caderno de Educação Financeira Finanças Pessoais

Como elaborar um orçamento financeiro pessoal

O fator mais importante a ser seguido na hora de elaborar um orçamento financeiro pessoal é fazer com que as despesas não sejam superiores às suas receitas.

O ideal, para que você sempre tenha tranquilidade, é que as receitas superem as despesas.

A importância de um orçamento financeiro

Como você viu em um outro artigo, ao elaborar um orçamento pessoal ou familiar você terá a oportunidade de avaliar sua situação financeira e definir as prioridades que poderão impactar em sua vida pessoal.

É dessa forma que você poderá  poupar e investir seu dinheiro para que possa ter recursos suficientes para eventuais emergências, realizar seu sonhos financeiros e preparar sua aposentadoria.

Como elaborar um orçamento financeiro pessoal

Como elaborar um orçamento financeiro pessoal

1 – Como iniciar

Você deve iniciar seu orçamento pessoal registrando em uma planilha ou folha de caderno tudo que você  ganha e o que gasta durante um período, que pode ser um mês ou até mesmo um ano (eu prefiro mensal).

Para elaborar seu  orçamento você precisa organizar e planejar suas despesas, com o objetivo de gastar bem o seu dinheiro, suprir suas necessidades e ainda realizar sonhos e atingir metas, de acordo com as prioridades que você definir.

2 – Elaboração

Existem diversas maneiras de elaborar um orçamento. Nesse caso específico é sugerido um método de quatro etapas:

a – Planejamento

Este procedimento consiste em estimar suas receitas e as despesas do período.

Para isso, você pode utilizar a rotina do mês anterior, elencando as receitas e as despesas passadas e usá-las como base para prever as receitas e as despesas dos meses seguintes.

As sugestões a seguir poderão auxiliá-lo nesta etapa.

Diferencie receitas e despesas fixas das variáveis

Receitas fixas – São as receitas que não variam ou variam muito pouco, como o seu salário, rendimentos de aluguel e aposentadoria.

Receitas variáveis – São aquelas em que valores variam de um mês para o outro, como os ganhos de comissões por vendas ou serviços. Exemplo:ganhos com aulas particulares.

Despesas fixas – São despesas que não variam ou variam muito pouco, como o aluguel, a prestação de um financiamento etc.

Despesas variáveis – São aquelas cujos valores variam de um mês para o outro, como a conta de luz ou de água, que variam conforme o consumo.

• Lembre-se dos compromissos sazonais: impostos, seguros, matrículas escolares etc.
• Lembre-se dos compromissos já assumidos: cheques pré-datados ou ainda não
compensados, prestações a vencer, faturas de cartões de crédito etc.
• Utilize informações passadas de conta de luz, água, telefone etc.

b – Registro

É necessário anotar, de preferência diariamente, para evitar esquecimentos, todas as receitas e despesas.
Para isso, aqui vão algumas sugestões.
• Anote todos os gastos. Pode ser em uma caderneta, em uma agenda, no celular, no computador etc.
• Confira os extratos bancários e as faturas de cartões de crédito;
• Guarde as notas fiscais e os recibos de pagamento;
• Guarde os comprovantes de utilização de cartões (débito/crédito);
• Diferencie as várias formas de pagamentos e desembolsos, separando-as em dinheiro, débito e crédito.

Essa planilha elaborada pelo Leonardo Rocha vem me ajudando muito a controlar meus gastos mensais e acredito que também possa te ajudar. É só clicar aqui e baixá-la. Ela é gratuita.

c – Agrupamento

Você perceberá que, com o tempo, as anotações serão muitas. Para que você as entenda melhor, agrupe-as conforme alguma característica similar. Por exemplo: despesa com alimentação, com habitação, com transporte, com lazer etc. Essa não é a única forma de agrupar as despesas.

Você pode utilizar outras formas de agrupamento que sejam mais adequadas à sua realidade. O agrupamento facilita a verificação da parcela do salário ou da renda que é gasta em cada grupo de itens, além de auxiliar com os ajustes ou cortes que eventualmente sejam necessários.

d – Avaliação

Nesta etapa, você vai avaliar como suas finanças se comportaram ao longo do mês e irá agir, corretiva e preventivamente, para que seu salário e sua renda proporcionem o máximo de benefícios, conforto e qualidade de vida para você.

Se suas despesas superarem suas receitas sua situação está complicada e provavelmente está endividado

Se despesas são iguais às receitas, você está em uma situação equilibrada, porém não terá dinheiro suficiente para eventuais emergências ou planejar seu futuro.

Se as receitas forem superiores às despesas. Parabéns, o objetivo foi alcançado. Você está condições de planejar, poupar, investir e pensar em uma aposentadoria tranquila financeiramente falando.

Gosta de  Finanças Pessoais? Então conheça o curso GRATUITO do Professor Dr. Elisson Duarte sobre como economizar e investir dinheiro clicando aqui! São três vídeo aulas imperdíveis!

Gostou do artigo?

Entre para nossa lista e receba com prioridade nossas dicas e conteúdos!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

CommentLuv badge

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.